As empresas conscientes da fragilidade do meio ambiente, como todos devemos estar, estão a dedicar-se a descobrir maneiras de reduzir todo o desperdício. O uso de água. A pegada de carbono em geral.

  

Alguns de nós já o fazemos há muito tempo, e de uma forma mais natural do que imaginamos.

 

O linho tem uma longa história

Já escrevemos sobre a história do linho. É um material que faz parte da nossa sociedade há muito tempo. Fibras de linho tingidas foram encontradas em cavernas pré-históricas na Geórgia, provando que tecidos de linho, produzidos a partir de linho selvagem, são usados há mais de 36.000 anos. E alguns fragmentos de palha, sementes, fibras, fios e vários tipos de tecidos são ainda mais antigos. Foram datados a 8.000 aC. Tudo isto sem sequer falar do Antigo Egito, onde era usado para mumificação e mortalhas. A brancura e o brilho do linho eram considerados um símbolo de luz e pureza. O linho era tão valorizado naquela época que até era usado como moeda.

Esta história antiga e prestigiante indica algo que pode não ser imediatamente óbvio: a produção de linho antecede a revolução industrial em milénios. Literalmente. Isso significa que o linho pode crescer e ser tratado sem recorrer a máquinas pesadas e poluentes.

 

O linho dá trabalho

A planta do linho requer muita atenção durante o cultivo. O uso de maquinário industrial não é ideal para linho de alta qualidade, pois prejudica as plantas e cria tecidos abaixo da média. Se quisermos o melhor (e nós queremos), então temos de aceitar que será trabalhoso. 80% do linho mundial é produzido na Europa, sob estritas regulamentações da UE.

A planta do linho é dez vezes mais longa debaixo do solo do que em altura e requer apenas 600 mm de água por cada 100 dias para crescer adequadamente. Para atingir o crescimento adequado, não só é necessário o clima perfeito, mas também o solo perfeito e um corpo de conhecimento muito específico sobre essas plantas que não é passível de ser mecanizado ou exportado.

 

As plantas de linho não precisam de ser regadas

O que isso significa é que não se pode cultivar linho em qualquer sítio. Tem de cultivar nas condições geoclimáticas extremamente específicas do norte da França, Bélgica e Holanda.

O que isso também significa é que a produção de linho não requer irrigação.

A cultura do linho tem uma pegada ambiental mínima e está a ser estudada em universidades e departamentos de P&D em todo o mundo devido não apenas às suas qualidades biomecânicas, mas também à sua sustentabilidade.

 

O linho separa-se sozinho

Este processo é chamado maceração (ou curtimento) e é feito de forma totalmente natural desde a década de 1950. O que se pretende é separar as fibras de linho do núcleo interno e da epiderme externa dos caules do linho. É um processo químico. A planta está revestida de produtos químicos chamados pectinas que mantêm todas essas partes da planta juntas.

Mas não são necessários produtos químicos para fazer nada disso.

O que os agricultores descobriram é que, se se deixarem as plantas sossegadas (depois de serem colhidas, é claro), e deixá-las no campo, o efeito da chuva e do solo na planta será suficiente. Tudo o que os agricultores precisam fazer é virá-los quando estiverem prontos. O momento em que isso ocorre é o que separa os bons produtores de linho dos grandes.

 

O linho aguenta muito tempo

Depois de concluída a maceração, as faixas podem ser enroladas em bolas e armazenadas. Que tipo de conservantes são necessários para que este material se armazene sem perda de qualidade até que as fábricas estejam prontas para processá-lo?

Nenhum.

 

O linho não precisa de muito espaço

A questão final que vamos discutir sobre a sustentabilidade do linho é o pouco espaço necessário para cultivá-lo. O facto de que 80% da produção global acontece numa área geográfica tão pequena é uma pista importante, mas a verdade é que até nessa área limitada o linho ocupa muito pouco espaço. Estima-se que cada hectare de terra produz cerca de 14,1 alqueires de linho, algo extraordinário.

 

Portanto, resumidamente:

O linho não requer irrigação.

O linho não requer o uso de produtos químicos para separar as fibras.

O linho não precisa de conservantes.

O linho ocupa muito pouco espaço agrícola.

 

Tudo isto torna-o uma das matérias-primas mais maravilhosas do mundo. Na senseslinen, fazemos questão de usar apenas matérias-primas verdadeiramente notáveis e temos muito orgulho nas nossas criações, das melhores do planeta.

 

Dirija-se à nossa loja online agora mesmo para ver a oferta diversificada e rica que temos dos produtos de linho mais bem elaborados do mercado.